Cerimônia marca os 30 anos do Cepel

03/11/2004

O Centro de Pesquisas de Energia Elétrica ? Cepel comemorou, dia 7 de outubro, seus 30 anos de atividade com uma sessão solene no auditório de sua sede, localizada na Cidade Universitária, na Ilha do Fundão. O evento reuniu, no Rio de Janeiro, alguns dos principais dirigentes e personalidades do setor de energia brasileiro. Maior centro de pesquisa de energia elétrica do Hemisfério Sul, o Cepel desenvolve pesquisas, ensaios e softwares utilizados pelo setor elétrico.

Entre outras personalidades, estiveram presentes à cerimônia: Ronaldo Schuck, secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, que representou a ministra Dilma Rousseff; Valter Cardeal, diretor de Engenharia da Eletrobras, que representou o presidente da empresa, Silas Rondeau Cavalcante Silva; José Pedro Rodrigues de Oliveira, presidente de Furnas Centrais Elétricas; Roberto Garcia Salmeron, presidente da Eletronorte; Zieli Dutra, presidente da Eletronuclear; Laércio Dias, conselheiro do Mercado Atacadista de Energia; o diretor de Engenharia e Construção da Chesf, José Ailton de Lima, representando o diretor-presidente da empresa, Dilton da Conti Oliveira; o diretor técnico da Eletrosul, Ronaldo dos Santos Custódio, representando o presidente da empresa, Milton Mendes de Oliveira; e o ex?diretor geral do Cepel, Jerzy Lepecki.

Todos os convidados foram recebidos pelo diretor?geral do Cepel, João Lizardo Rodrigues Hermes de Araújo; pelo diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, Márcio Pereira Zimmermann; e pelo diretor de Gestão e Infra-estrutura, Jorge Nunes de Oliveira. ?O Cepel vem cumprindo sua missão ao longo dos anos e transformou-se no maior centro de pesquisa de energia elétrica do Hemisfério Sul?, afirmou o professor João Lizardo, na abertura da cerimônia.

Ao fazer uma retrospectiva das atividades do Centro em seus 30 anos de existência, o diretor-geral do Cepel destacou a reestruturação iniciada em 2003. ?Com as mudanças, o Cepel voltou a se dedicar a projetos estruturantes que são indispensáveis para o setor de energia brasileiro?, afirmou o professor João Lizardo. O diretor-geral fez questão de agradecer aos empregados, aos sócios-fundadores e às demais empresas do Grupo Eletrobrás.

Durante a sessão solene, a Diretoria e os empregados do Cepel prestaram homenagens a pesquisadores, funcionários e ex-dirigentes do Centro. Foram homenageados: o ex-diretor Jerzy Lepecki, pelos 17 anos que esteve à frente do Cepel; o pesquisador Nelson Martins; o técnico?administrativo Carlos Salvador Andrade Nave; o técnico de laboratório Ozeas Moreno Lima; o presidente do Conselho Deliberativo do Cepel, Valter Cardeal; e as empresas sócias?fundadoras do Centro: Eletrobrás, Chesf, Furnas, Eletronorte e Eletrosul. Foi prestada, ainda, uma homenagem póstuma ao ex?diretor geral Leslie Afrânio Terry, que passou a dar nome ao auditório do Centro. Uma placa foi entregue à filha de Leslie, Tatiana Terry.

Aplaudido de pé pelos empregados e convidados, em um dos momentos mais emocionantes da cerimônia, o ex-diretor Jerzy Lepecki, aposentado há 13 anos, agradeceu a homenagem e aproveitou a oportunidade para estendê-la a antigos colegas. Lepecki recordou momentos marcantes da história do Cepel, como o início das atividades, no escritório da Avenida Rio Branco; a ida para a antiga Casa do Estudante, na Cidade Universitária, onde o Centro funcionou temporariamente até a inauguração da sua sede, na Ilha do Fundão. O local passou a ser chamado de Cepelzinho e depois de uma série de reformas passou a abrigar a Coppead. Jerzy Lepecki destacou, também, o processo de implantação dos laboratórios de Adrianópolis.

Após a sessão solene, foi realizado um evento de confraternização, na Marina da Glória, reunindo empregados do Cepel, representantes das empresas do Grupo Eletrobrás e de outras empresas e órgãos do setor elétrico, e convidados. Foi oferecido um coquetel para 1200 pessoas. A festa contou com cinco atrações musicais e foi iniciada com a apresentação de um grupo de chorinho. Em seguida, subiu ao palco um grupo musical do Amapá. A programação prosseguiu com show de frevo com um grupo musical e de dançarinos de Recife, e com a apresentação do cantor e compositor Tiãozinho da Mocidade (empregado aposentado do Cepel), acompanhado por ritmistas (bateria), passistas e um casal de mestre sala e porta-bandeira. A noite foi encerrada com o show do conjunto Barômetro.

Cepel ? 30 anos

Criado em 1974 para atender a expansão do setor elétrico nacional, o Cepel ocupa lugar de destaque no cenário internacional. Com o início da reformulação do setor elétrico brasileiro para a implantação de um novo modelo, em 2003, o Cepel se reestruturou e sua área de pesquisa passou a funcionar com cinco departamentos. Com a mudança, o Centro voltou a priorizar projetos estratégicos e estruturantes, fundamentais para capacitar tecnologicamente as empresas brasileiras do setor elétrico em um mercado cada vez mais competitivo.

O Cepel desenvolve tecnologias voltadas às atividades de geração, transmissão e distribuição de energia. Entre os principais usuários do Centro estão as empresas do Grupo Eletrobrás, o Ministério de Minas e Energia, as concessionárias do setor, indústrias de equipamentos elétricos, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

O Centro desenvolve programas computacionais para dar suporte a diferentes atividades, entre elas: operação do sistema elétrico brasileiro, supervisão e controle das redes, e expansão do setor. A utilização de algumas dessas ferramentas computacionais vem permitindo ao Brasil obter ganhos sinérgicos elevados na operação coordenada dos recursos de geração e transmissão de energia. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o ganho chega a cerca de 20% da disponibilidade energética, o que equivale a uma economia de R$ 4,5 bilhões anuais.

Na área de P&D em equipamentos e materiais, o Cepel fornece suporte às atividades do Grupo Eletrobrás e às demais empresas de geração, transmissão e distribuição do país, oferecendo novas tecnologias para transmissão e soluções para monitoramento, diagnóstico, avaliação de integridade, extensão de vida útil, recapacitação de equipamentos e sistemas. A estimativa de redução nos custos e investimentos globais anuais, com o uso das ferramentas e novas tecnologias desenvolvidas pelo Cepel, é da ordem de 5% em manutenção de equipamentos de subestações, e de até R$ 1 bilhão por ano na expansão da transmissão.

O Cepel é o principal pólo gerador de produtos e serviços para o setor elétrico. Entre os serviços realizados pelo Centro destacam-se estudos elétricos, medições, análises periciais e ensaios de tipo, de desenvolvimento e de conformidade para certificação. Credenciado pelo Inmetro para certificar equipamentos elétricos, o Cepel também desenvolve projetos de eficiência energética e de geração a partir de fontes alternativas, como energia solar e eólica. Em sua sede estão instalados o Centro de Referência para Energia Solar e Eólica Sérgio de Salvo Brito (Cresesb), a Casa Solar Eficiente e o Centro de Aplicação de Tecnologias Eficientes (Cate).

O Cepel é mantido com recursos oriundos de empresas sócias divididas em três modalidades: associadas (sócias-fundadoras), participantes e colaboradoras. Os sócios fundadores são: a Eletrobrás (Centrais Elétricas Brasileiras S.A.) e suas controladas: Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco), Eletronorte (Centrais Elétricas do Norte do Brasil), Eletrosul Centrais Elétricas S.A. e Furnas Centrais Elétricas.